Final do Hackathon Aiba LAB revela projetos inovadores para o agronegócio baiano

AIBA - Associação de Agricultores e Irrigantes da Bahia > Notícias > Notícias > Final do Hackathon Aiba LAB revela projetos inovadores para o agronegócio baiano

Em uma tarde cheia de expectativas e ansiedade, os projetos vencedores da primeira edição do Hackathon Aiba LAB foram revelados para o público interessado em ideias inovadoras para o agronegócio. O anúncio, que marcou o encerramento do primeiro Hackathon realizado na região, ocorreu durante a teleconferência transmitida pelo canal da Associação de Agricultores e Irrigantes da Bahia (Aiba), no You Tube, nesta terça-feira (10). Participaram do evento, competidores de 16 estados do Brasil.

Antes de anunciar a equipe vencedora, o presidente da Aiba, Odacil Ranzi, elogiou a dedicação empreendida por parceiros, patrocinadores e apoiadores da competição. “Essa parceria nos trouxe grandes resultados. Conseguimos, juntos, e com muito êxito, realizar o primeiro Hackathon do oeste baiano. Passamos a ter uma grande expertise, para eventos futuros, e, paralelamente, o agro também ganha, com as soluções apresentadas pelas equipes”, ressaltou.

O 1º lugar, no Hackathon Aiba LAB foi conquistado pela equipe formada por Lucas Maltoni Andrade, Wesley Soares de França, Humberto Souza Martins, Tiago Tozi e Marcella de Freitas Silva. Eles apresentaram o projeto do Sistema Autônomo e Inteligente de Irrigação (SIIR), que possui capacidade de captação de variáveis meteorológicas, tomando decisões inteligentes, de maneira autônoma, atuando na ativação e no desligamento da irrigação e realizando transmissão de dados para a nuvem, permitindo a análise do processo para posterior tomada de decisões.

“Experiência altamente desafiadora! Com muitas equipes de alta qualidade, desde o princípio estava claro que precisaríamos dar nosso melhor em cada etapa, e assim fizemos a todo o momento, com a sensação, ao fim de cada entrega, de dever cumprido. Só começamos, mas já podemos dizer que fechamos essa fase com um aprendizado imensurável. Podemos dizer que, sem o suporte da equipe de organização e das mentorias que foram oferecidas, certamente não iríamos entrar no pódio. Somos muito gratos e registramos nossos parabéns a todos os envolvidos!”, disse Lucas, em nome da equipe, que teve cinco componentes de Minas Gerais.

Segundo ele, no grupo tem pessoas já formadas, ou que ainda estão em formação, nas áreas de Engenharia Agrícola e Ambiental, Agronomia e Física, pela UFV, Lucas lembrou ainda da satisfação de conquistar o primeiro lugar, “a sensação de ser o vencedor, depois de duas semanas tão intensas, é algo difícil de descrever, mas levamos esse reconhecimento como prova de que estamos no caminho certo e que podemos conquistar muito mais”, comemorou.

Os campeões vão receber três notebooks, um cheque no valor de R$4.000,00 e um dia de campo em uma fazenda de soja. A Equipe Fênix, 2ª colocada, foi premiada com um notebook e um cheque no valor de R$3.000,00. Para a 3ª colocada, Equipe Foxy, os prêmios foram um notebook e um cheque no valor de R$2.000,00. Os três primeiros lugares receberam, ainda, domínio e hospedagem de site por um ano e mentoria e aceleração dos projetos no Senai Cimatec.

A transmissão reservou, na programação, um espaço dedicado à preparação dos empreendedores para o mercado externo, com a apresentação “Oportunidades internacionais para startups do agro – case Web Summit”, no Painel Mundo, ministrada pelo Engenheiro de Produção e co-fundador da Atlantic Hub, Eduardo Migliorelli e o empresário Ricardo Galvão, que é Presidente da Câmara Portugal-Brasil.

“Tenho absoluta certeza de que 2022 será o ano da virada para todos nós. Não é o mais forte que deve vencer, mas aquele que consegue se adaptar”, refletiu Galvão. Já Migliorelli, acredita que o momento é muito positivo para as startups, que vão aproveitar a retomada da economia mundial, para se estabelecerem no mercado.

 

Final do Hackathon

Mobilizando o setor do agro com 14 dias de competição, o primeiro Hackathon AibaLAB contou com 156 inscrições, vindas de 66 cidades de 16 estados do País. Com cinco equipes selecionadas para a próxima fase, este foi o primeiro de três ciclos de um programa de inovação aberta criado para identificar e implementar soluções tecnológicas em favor de uma cadeia de suprimentos da soja sustentável em uma das regiões de maior produtividade agrícola do Brasil, o Oeste da Bahia.

A primeira etapa do Hackathon AibaLAB foi concluída. Mas este é apenas o início da jornada de construção de uma trilha de inovação em favor da sustentabilidade na cadeia de suprimentos da soja. O Programa Aiba LAB é resultado da parceria entre o Senai Cimatec e a Associação de Agricultores e Irrigantes da Bahia (Aiba), com apoio do Land Innovation Fund.

Assista a transmissão completa do encerramento do Hackathon, no canal da Aiba no YouTube.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.