Aiba participa da inauguração da Embrapa Territorial

AIBA - Associação de Agricultores e Irrigantes da Bahia > Notícias > Notícias > Aiba participa da inauguração da Embrapa Territorial

Ao lado do ministro da Agricultura, Blairo Maggi, o vice-presidente da Aiba, Luiz Pradella, participou, na última segunda-feira (11), em Campinas (SP), da cerimônia de inauguração da Embrapa Territorial, que será voltada a pesquisas e inovações com foco no uso e ocupação das terras para esta atividade econômica, por meio de monitoramento e gestão.

A nova unidade, que engloba outras três já existentes: o Grupo de Inteligência Territorial Estratégica, a Embrapa Gestão Territorial e a Embrapa Monitoramento por Satélite, trabalhará com a dinâmica temporal e espacial da agricultura, o uso e a ocupação das terras pela agropecuária brasileira e as atuais demandas para ampliar sua competitividade e sustentabilidade.

“O intuito da Embrapa Territorial é gerar dados reais que possa subsidiar o governo a tomar importantes decisões. Considero esta fusão como um passo relevante para que tenhamos um instrumento capaz de fazer um verdadeiro “raio-x” do Brasil, no sentido de um levantamento mais amplo sobre as áreas conservadas e ocupadas”, avaliou o vice-presidente da Aiba, Luiz Pradella.

A nova Unidade inicia suas atividades com três metas: um sistema de inteligência territorial para a macrologística agropecuária; a continuidade do mapeamento e análise das áreas dedicadas à preservação da vegetação nativa nos imóveis rurais com os dados do Cadastro Ambiental Rural (CAR) e a estruturação de um sistema de inteligência, gestão e monitoramento territorial para os cerrados do Brasil.

Chefe-geral da Embrapa Territorial, o pesquisador Evaristo de Miranda mostrou que a mudança acompanha a evolução da tecnologia. “Há 30 anos, começamos a usar satélites e geotecnologias, investimos muito no conhecimento desses instrumentos, mas hoje esse conhecimento já amadureceu. Não se trata mais de ficar estudando dados de satélite ou ferramentas como a geotecnologia. Nós vamos usar essas ferramentas, mas nosso foco agora é a agricultura brasileira, o uso e ocupação das terras no Brasil, a dinâmica espacial, dinâmica temporal, o caminho das safras”, explicou.

Ascom Aiba

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.