Aiba | Associação de Agricultores e Irrigantes da Bahia - Doações de produtores rurais são revertidas em benfeitorias na Associação dos Moradores do Aracruz - Aiba | Associação de Agricultores e Irrigantes da Bahia

Doações de produtores rurais são revertidas em benfeitorias na Associação dos Moradores do Aracruz

Publicado em: 28/08/2019 15:24:47

Em meio à colheita de algodão no Oeste da Bahia, os agricultores da região estão colhendo também os frutos da solidariedade da categoria. Na última sexta-feira (16), os produtores rurais doadores do Fundo para o Desenvolvimento Integrado e Sustentável da Bahia (Fundesis) acompanharam de perto o resultado de mais um projeto apoiado por eles. Graças às doações, o Fundesis patrocinou uma ampla reforma e a aparelhagem da Associação dos Moradores do Aracruz (AMA), na cidade de Luís Eduardo Magalhães. Com o recurso destinado, cerca de R$ 35 mil, foi possível realizar obras estruturais e a pintura da sede, e ainda equipá-la com carteiras novas para os alunos, mesas para os professores, prateleiras e estantes, além de renovar os brinquedos do parque infantil. O objetivo é proporcionar mais conforto, segurança e bem-estar aos atendidos pela instituição social.

Emocionado, o vice-presidente do Instituto Aiba (Iaiba), entidade mantenedora do Fundesis, Odacil Ranzi, ressaltou o papel do agricultor no desenvolvimento social, ambiental e econômico da região. “Nossa missão vai para além de cuidar da terra e produzir alimentos. Nós também cuidamos de pessoas. É uma felicidade muito grande ver a aplicação responsável da nossa doação transformando a vida de quem precisa. O Fundesis é o resultado da generosidade e atenção do produtor para com o próximo. E, hoje, poder testemunhar essas crianças tendo um atendimento digno graças à nossa contribuição só aumenta a minha fé de que com amor tudo é possível. Elas eternizam a vontade de fazermos ainda mais e multiplicam nosso carinho”, afirmou o agricultor que há anos colabora com o Fundo. Odacil aproveitou para agradecer a presença dos produtores rurais que abriram mão da lida para acompanhar a entrega. “Em nome dos que vieram, eu agradeço também àqueles que por causa do trabalho não puderam estar aqui, mas que mesmo assim não deixam de colaborar”, reforçou.

Quem fez questão de compartilhar desse momento foi o produtor rural Jacson Wallauer. Ele, que contribui com o Fundesis há mais de 10 anos e acompanha de perto as ações, é vice-presidente de outra entidade beneficiada na cidade de Luís Eduardo Magalhães. “Hoje estou ainda mais presente porque sou produtor, doador e beneficiado também pelo Fundesis, através do Abrigo Santa Clara, instituição que eu ajudo a presidir. Me sinto mais integrado nessa realidade não só como benfeitor, mas também como beneficiado. Ver de perto de que forma nossas doações são aplicadas é muito gratificante. Por isso, eu faço um convite aos demais produtores: venham conhecer e acompanhar o trabalho dessas instituições, assim não tem como não ajudar”, conta.

A coordenadora da AMA, Ângela Araújo, ressaltou a importância da contribuição do produtor rural. “A manutenção do nosso projeto é dispendiosa, pela quantidade de crianças e suas famílias que recebemos diariamente. Desse modo, desgastes acontecem com frequência, havendo a necessidade de fazer reposições e manutenções. Essas doações são responsáveis por 90% das nossas ações, ou seja, é graças a elas que funcionamos dignamente e oferecemos um serviço de qualidade”, afirma, ao destacar que a instituição já foi agraciada três vezes pelo Fundesis. “É a terceira vez que recebemos recursos do Fundo. Eu sempre digo que o Fundesis nos atende nas horas em que mais precisamos”, completa.
Atualmente, a AMA atende mais de 150 crianças, além de receber também alguns familiares para orientação, apoio e amparo. Sem o recurso destinado pelo Fundesis o atendimento seria precário.

“Somos muito criterioso ao selecionar os projetos contemplados em cada edital. Há muita seriedade em todo o processo, desde a captação até o repasse dos recursos, que são geridos corretamente e promovem verdadeiros milagres para a sociedade. A quantidade instituições assistidas e, consequentemente, de vidas transformadas são a prova do efeito multiplicador. Sabemos que anualmente os custos operacionais aumentam, mas quando o produtor se dispõe a doar um pouco mais dos seus recursos para promover o bem ele transforma vidas”, salientou Romildo Oliveira, do Banco do Nordeste, que funciona como agente catalizador do Fundesis, ao captar recursos para o Fundo junto ao produtor rural que custeia a lavoura pelo Banco.

O Fundesis é mantido pelas doações dos produtores rurais. Em quase 13 anos, já foram investidos cerca de R$ 4 milhões em 124 projetos sociais de 13 municípios da região. Uma verdadeira “semente de efeito multiplicador”, como define o presidente do Fundo, Celestino Zanella, ao lembrar que mais de 60 mil vidas já foram transformadas direto e indiretamente com ações do Fundo.

Ascom Aiba