21 de julho de 2021

Produtividade e manejo sustentável são discutidos na preparação para o Hackathon Aiba Lab

O vencedores da competição vão receber notebooks e um valor em dinheiro

A programação do Hackathon Aiba Lab tem sido realizada desde 07 de julho, quando começaram as transmissões que tem como objetivo preparar os participantes para o início da competição. Nesta quinta-feira (15) foi a vez do segundo webinar de imersão, que contou com a apresentação de grandes especialistas do setor, em um debate sobre o tema “Produtividade e manejo sustentável”, com ênfase no trabalho agronômico voltado para a qualificação do solo, plantio e práticas conservacionistas.

O primeiro a ministrar palestra foi o professor e coordenador de agronomia do Centro Universitário São Francisco de Barreiras (Unifasb), Dr. Jorge da Silva Júnior, que fez um panorama da agricultura na região, ressaltando os fatores que tem contribuído para as altas produtividades de soja, milho e algodão registradas na Bahia. “Quando vemos os altos números da produção agrícola do oeste da Bahia, muitas vezes não lembramos que os primeiros gaúchos que aqui vieram, passaram um verdadeiro sufoco. Mas, com os investimentos em pesquisa, pudemos colher os frutos e desenvolver a região”, afirmou.

Marcos Heil Costa, Ph.D. em Climatologia pela Universidade de Wisconsin-Madison e professor titular da Universidade Federal de Viçosa (UFV), tratou dos desafios para a implementação das práticas conservacionistas. “A gente tem um excelente potencial agrícola, capacidade de fornecer alimentos e prover segurança alimentar para o mundo inteiro, mas nunca vou concordar que destruam nosso País para alcançar qualquer objetivo. Por isso devemos apostar nas práticas conservacionistas como forma de resolver o problema sem trazer grandes prejuízos ambientais”, refletiu o docente, que também é membro do Painel Intergovernamental de Mudanças Climáticas (IPCC).

Houve, ainda, a abordagem, feita pelo engenheiro agrônomo Fábio Luiz Marques Ribeiro, gerente de soluções integradas da Agrosul, sobre a agricultura de precisão, que busca, por meio de aparatos tecnológicos, e maquinário cada vez mais moderno, reduzir os impactos ambientais na preparação da área, no plantio e na colheita.

 

PREMIAÇÃO

Além do conteúdo, outro ponto que chamou a atenção do público foi a premiação oferecida às equipes vencedoras do Hackathon: 9 mil reais em cheques, cinco notebooks, um dia de campo para conhecer a rotina de uma fazenda na região oeste da Bahia, além da pré-aceleração do projeto.

INSCRIÇÕES

O Hackathon está com inscrições abertas até 23 de julho. A programação da competição começa em 26 de julho e deve se estender até 22 de outubro. Neste período, ocorrerão três fases: modelagem da solução, prototipação e pitch e pré-aceleração.