20 de abril de 2021

Aiba e Banco do Nordeste buscam, em reunião, melhorias para o setor agrícola

A diretoria da Associação dos Agricultores e Irrigantes da Bahia (Aiba) se reuniu, por meio de uma teleconferência, nesta segunda-feira (19), com a direção do Banco do Nordeste, para tratar das demandas encaminhadas, pelo setor, durante reunião ocorrida na sede da entidade agrícola, em novembro de 2020. Entre as solicitações, constam: melhorias no atendimento, implementação de tecnologias específicas, ampliação e facilitação de crédito.

“Além de ser a instituição financeira que mais investe no custeio da produção agrícola baiana, o Banco do Nordeste tem realizado um grande esforço para atender às solicitações dos produtores. É uma parceria que tem grandes reflexos econômicos para a região”, disse Romildo Rolim, presidente do BNB. Ainda segundo ele, o investimento de R$1,15 bilhão, por parte do agente financeiro em 2020, gerou empregos e renda, incrementou a arrecadação tributária do estado da Bahia e agregou valor à condição econômica do cerrado.

Um dos participantes, o produtor rural Walter Horita, ressaltou a evolução da parceria entre o produtor e a instituição. Ele disse que a região oeste apresenta, continuamente, as maiores produtividades do Brasil em soja, milho e algodão. E que esse fator dá segurança tanto para o banco, na concessão de financiamento, quanto para o produtor, que busca custeio para aumentar os investimentos.

Já o presidente da Associação Brasileira de Produtores de Algodão (Abrapa), Júlio Busato, citou programas que podem receber incentivos e elogiou os melhoramentos no Programa “Planta Nordeste”, modalidade de contratação de crédito com renovação automática para pré-custeio e custeio.

“Sabemos que sempre haverá o que melhorar, mas quando duas grandes instituições fazem parcerias, o resultado, naturalmente, é grandioso. Os esforços do banco para atender às nossas demandas, fortalece os laços de confiança”, afirmou o presidente da Aiba, Odacil Ranzi. “Não são apenas operações financeiras. Essa atividade entre o BNB e o agronegócio é a grande mola que impulsiona a economia regional”, finalizou.

Ascom Aiba