30 de novembro de 2013

Fiol volta a seguir o seu traçado

 

A Ferrovia Oeste-Leste (Fiol) retoma os trilhos e volta a seguir seu traçado. A mobilização nacional que culminou com a realização do Seminário “Fiol – a Bahia quer, o Brasil precisa”, no dia 26 de abril, fez com que diversos órgãos federais se envolvessem no processo e colaborassem com o destravamento das obras da ferrovia que interligará o município de Figueirópolis (Tocantins) à Ilhéus (Bahia).

Desde então, muitos avanços foram alcançados. Diversos lotes que estavam com liberações ambientais pendentes ou a espera de autorização do TCU, tiveram seus problemas solucionados e estão à todo o vapor.

A conclusão da Fiol é de fundamental importância para o desenvolvimento do interior do Estado, onde vivem 70% dos baianos, e para o ganho de competitividade da produção agropecuária do Estado. Para se ter uma idéia, o valor do frete praticado na região, está entre os mais altos do país. “Precisamos, urgentemente, melhorar nossa logística com a construção da ferrovia e do Porto Sul, além de melhorar as estradas vicinais e sistemas de armazenamento para que possamos continuar crescendo.”, afirmou o presidente da Aiba, Júlio Cézar Busato.

De acordo com dados da Confederação Nacional da Indústria (CNI), a conclusão da Fiol entre Barreiras e Ilhéus pode gerar uma economia anual de R$1,19 bilhões com transporte em 2020.

Ferrovia de Integração Oeste Leste – A Ferrovia Oeste Leste ligará a cidade de Figueirópolis (Tocantins) ao Porto Sul em Ilhéus, passando por 49 municípios baianos. A nova linha férrea poderá, futuramente, ser interligada a rede que chegará ao Oceano Pacífico, promovendo uma maior integração da América do Sul. Ao todo, o projeto tem 1.526 km de extensão e envolve investimentos estimados em R$ 6 bilhões até 2014. Ela ainda abrirá nova alternativa de logística para portos no norte do país atendidos pela Ferrovia Norte-Sul e Estrada de Ferro Carajás.

CRONOGRAMA DE AVANÇOS

06/06/13 – PORTO SUL É O PRIMEIRO A SER BENEFICIADO PELA LEI DOS PORTOS

O governado do Estado concede uma área de 495 hectares para a instalação do Terminal de Uso Privativo (TUP) da empresa Bahia Mineração (Bamin) no Porto Sul, Distrito de Aritaguá, em Ilhéus, litoral sul do Estado. Com a concessão, que prevê a construção do terminal em até cinco anos, o Porto Sul deve passar a ser o primeiro a se beneficiar da Lei dos Portos, sancionada pela presidente Dilma Rousseff.

No local, será feito o processamento, armazenamento e embarque do minério de ferro extraído da mina Pedra de Ferro, operada pela Bamin, em Caetité, no sudoeste baiano, a cerca de 500 quilômetros dali. A previsão é que a empresa invista na área cerca de R$ 2 bilhões e escoe 25 milhões de toneladas do minério por ano.

O terminal operado pela Bamin, porém, será apenas um no complexo intermodal desenhado pelo governo da Bahia para o local, que tambem terá um terminal público para estocagem e escoamento de 75 milhões de toneladas de produtos diversos – além de minérios, combustíveis, grãos e óleos. No projeto está prevista ainda a instalação de um aeroporto e de integrações com rodovias e com a Ferrovia de Integração Oeste-Leste (Fiol).

11/07/13 – LIBERAÇÃO DOS TRECHOS 5 E 5A

O Ibama libera a retomada das obras nos lotes 5 e 5A da Ferrovia Oeste-Leste (Fiol) entre Caetité e Bom Jesus da Lapa, com construção de uma ponte de 2,9 km sobre o Rio São Francisco, sob a Licença de Instalação 750/2010 (LI).

A licença autoriza as obras de infraestrutura e de superestrutura necessárias para a implantação da ferrovia, que terá a maior ponte ferroviária, em extensão, do País. A Valec ainda aguarda aprovação da obra pelo Tribunal de Contas da União (TCU), que solicitou novos estudos sobre a sondagem do volume de terraplanagem que será necessária para o trecho.

05/ 08/13 – LICITAÇÃO PARA COMPRA DE TRILHOS

A abertura do pregão para a compra de trilhos para a Fiol está marcada para o dia 18 de setembro, quando as propostas das empresas interessadas serão apresentadas em Brasília. O tipo de licitação será pelo menor preço global por lote.

O valor do investimento alcança R$ 559 milhões que serão usados para adquirir 147 mil toneladas de trilhos para os trechos entre o municípios de Ilhéus, no sul do Estado, até o de Barreiras, no oeste. A Valec decidiu dividir a licitação em cinco lotes que compreendem 1.100 quilômetros de todo o traçado da ferrovia de 1.527 quilômetros.

05/08/13 – MINISTRO DOS TRANSPORTES VISTORIA OBRAS

Ministro dos Transportes sobrevoa os 537 km da ferrovia, no trecho que liga Caetité-Ilhéus. A obra está com 20% de execução e segue cronograma com previsão de conclusão para 2014.

No lote 3, o mais avançado (40% do físico executado), a fábrica de dormentes produziu, deste o início do ano, 72 mil unidades das 215 mil necessárias para cobrir a distância entre Tanhaçu e Manuel Vitorino. Os outros lotes (1, 2 e 4) também contam com fábricas instaladas e em funcionamento.

O lote mais preocupante era o lote 1, entre Barra do Rocha e Ilhéus, com 125 km de extensão. A obra ficou parada deste o fim do ano passado, devido às questões judiciais entre a Valec e consórcio contratado, depois que a Delta deixou o empreendimento. Em junho, a Valec assinou um acordo com a nova líder do Consórcio (SPA), que retomou as obras e se comprometeu a atingir o nível máximo de produção nos próximos cinco meses.

O ministro César Borges se mostrou otimista após analisar os dados de desempenho e o cronograma de cada trecho. “Hoje você vê obra plena. O trecho da FIOL de Caetité [lote 4] até aqui [lote 1] já emprega 7.100 pessoas e isso é muito bom pra Bahia”, afirmou.

12/08/13 – LIBERAÇÃO DOS TRECHOS 6 E 7

Ibama concedeu a Licença de Instalação e a Autorização de Supressão de Vegetação para os lotes 6 e 7 da Fiol. Com isso, toda a extensão da ferrovia que conta com recursos do PAC-2 para sua construção já possui a permissão do órgão ambiental para execução. As áreas se referem aos lotes 1, 2, 3, 4, 5, 5A, 6 e 7, os quais se situam entre Ilhéus/BA e Barreiras. O Pátio Terminal de Ilhéus não está incluído nessa licença.

20/08/13 – LIBERAÇÃO PARA O LOTE 2A

A Valec assina ordem de serviço para o início das obras do Túnel de Jequié (780 metros de extensão). A obra se refere ao lote 2A da Ferrovia de Integração Oeste-Leste (FIOL), no trecho Figueirópolis (BA) – Ilhéus (BA). A partir da emissão da ordem de serviço, a empresa vencedora da concorrência para elaboração dos projetos executivos e execução da obra, tem dez meses para concluir a implantação do túnel. O investimento gira em torno de R$ 50 milhões.

Ascom Aiba