22 de setembro de 2020

Abapa intensifica orientações para o correto transporte do algodão baiano

Com mais de 95% da safra 2019/2020 do algodão produzido no Oeste da Bahia colhida, a Associação Baiana do Produtores de Algodão (Abapa) quer garantir o correto transporte de algodão em caroço e caroço de algodão e, assim, evitar que parte da carga se espalhe pelas rodovias da região disseminando plantas hospedeiras, as tigueras, responsáveis em propagar pragas e doenças, principalmente o bicudo do algodoeiro. Em parceria com a Agência Estadual de Defesa Agropecuária da Bahia (Adab) e apoio da Polícia Militar uma série de blitze educativas estão sendo intensificadas em pontos estratégicos para alertar os caminhoneiros que redobrem os cuidados no armazenamento e transporte.

A ação compõe a ‘Campanha Não ao Bicudo’ do Programa Fitossanitário da Abapa e nesta terça-feira (15) foi realizada nas proximidades do posto Cerradão, no trevo que dá acesso à rodovia Anel da Soja. “Nossa equipe trabalha todos os dias no controle das tigueras, ao ver transportadores rodando pelas rodovias, já fazemos uma observação e se não estiver dentro dos padrões técnicos recomendados, os responsáveis pelas usinas de beneficiamento, algodoeiras e propriedades, são acionados”, observa o coordenador do Programa, Antônio Carlos Araújo. Outras estratégias de combate ao bicudo são rotineiras e desenvolvidas ao longo de todo o ano nos 18 núcleos regionais do Programa Fitossanitário, como visitas às fazendas e orientações aos agricultores.

Em relação ao transporte da fibra, é necessário que seja realizado de maneira adequada seguindo recomendações da Lei de Defesa Vegetal 10.434/2006 e decreto da lei 11.414/2009.  O fiscal estadual agropecuário da Adab, Nailton Sousa Almeida alerta para de que a informação prévia pode evitar gastos e aborrecimentos para os responsáveis pelas cargas.  “Esta é uma ação de sensibilização e orientação aos transportadores. Em fiscalizações de rotina da Adab, aplicamos multas severas, logo, é possível observar que têm diminuído os casos de infração, são casos pontuais que descumprem as leis.

O motorista Sergio Friederich, veio do Paraná para trabalhar na colheita e prestar serviços de transporte para uma fazenda. Durante a blitz teve a carga parada e vistoriada por apresentar uma falha no enlonamento. “Foi uma corda que arrebentou, acontece, ficarei mais atento e farei mais paradas para observar a carga”, sinalizou. Ele recebeu orientações da equipe da Abapa, arrumou a carga e seguiu para seu destino. A previsão é de novas blitze no trevo de Placas na próxima quinta (17); em Roda Velha na terça-feira (22) e no distrito de Rosário na sexta-feira (25)

Assessoria de Imprensa da Abapa